Tag: Saúde

A resistência dos governos em colocar saúde como prioridade

O diretor do Isags, ex-ministro e membro da Plataforma Política Social, José Gomes Temporão, fala sobre a dificuldade enfrentada por gestores da saúde em governo que insistem em não conduzir a saúde pública ao patamar de política pública prioritária, como estão as questões econômicas.

Grito dos Excluídos: contra ameaças aos direitos sociais

Sonia Fleury, fala sobre a reunião do Coletivo Grito dos Excluídos, realizada em 29 de julho de 2013, que teve o objetivo de retomar discussões sobre como a política econômica tem afetado os direitos sociais, além de discutir ações efetivas contra essas ameaças.

A Saúde, o SUS e o programa “Mais Médicos”

O projeto tem quatro propostas principais que objetivariam melhor a qualidade da política pública de saúde e do SUS. Essa iniciativa levanta temas que merecessem apoio, mas, ao mesmo tempo, traz vários aspectos que não deverão ser apoiados por aqueles interessados no bem-estar dos brasileiros.

A inadiável revisão da lei de patentes

Artigo de Jorge Beloqui, professor do Instituto de Matemática e Estatística da USP, e Mário Scheffer, membro da Plataforma Política Social, professor do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP.

Prática teórica, ação política e articulação pública/privada no sistema de saúde no Brasil

A articulação entre os elementos públicos e privados no sistema de saúde do Brasil tem se caracterizado por uma dinâmica que poderia ser bem definida como “nebulosa”. Alguns autores, estudiosos do tema, tem lançado mão de metáforas como “teias e tramas” ou “luzes e sombras” para se referir a esse objeto dotado de notável complexidade e que solicita presentemente um grande esforço empírico e teórico na sua abordagem.

Avanço dos planos de saúde e a lógica da privatização do social

Portanto, temos que aguçar a consciência e intensificar a luta – infelizmente inclusive dentro do próprio estado – para impedir essa avidez dos interesses capitalistas em avançar nesse novo “nicho” de mercado aberto pelas classes C e D e a oferta de planos privados de saúde, como também, simultaneamente, à tendência de privatização dos hospitais universitários, por meio da estratégia de administração pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).

Política social para todos? Quem patrocina? A quem se destina?

O próprio desenvolvimento precisa ser qualificado se quisermos evidenciar quem patrocina e a quem se destina. É urgente que pensadores, políticos e militantes que acreditam nos valores universalistas e na construção de uma cultura de direitos recoloquem em pauta o debate sobre a política estatal de mercantilização das políticas sociais.

O governo e a saúde segundo a perspectiva da individuação

A presença social dos riscos das políticas governamentais para uma relativa classe média no Brasil impõe a reestruturação dos planos de vida pessoais e refazem a gramática social. Tais políticas não habilitam o governo a oferecer soluções para problemas estruturais dos sistemas de saúde, pelo contrário, condena-o a tratar os riscos à saúde como meras atividades de consumo.

Sistema público ou privado de saúde?

Planos de saúde baratos servem a uma clientela jovem que normalmente pouco utiliza a rede de serviços, mas a oferta de consultas e exames laboratoriais básicos é inegavelmente um forte atrativo para quem hoje acha que está desprotegido. O SUS funcionará como retaguarda, tendo de arcar com atendimentos complexos, longas internações, toda a atenção primária e a proteção aos mais velhos e às doenças crônicas que hoje respondem pelo grosso das consultas e da mortalidade.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE